sexta-feira, 21 de abril de 2017

Clementina

Muito tempo atrás, muito mesmo, joel conheceu uma pessoa no saudoso park city.... Sua fraca memória nāo lembra quem foi a bondosa alma que os apresentou. Mas ele lembra de muitos momentos, que ela namorava um cara da colombia que vivia na Bolívia, lembra que nunca estavam livres um para outro, as vezes ocupados com amigo do joel. Viviam uma paixão singular, um romance sem romance, estavam esperando de alguma forma o momento, que seria só deles, o que não aconteceu. Ela se foi, ele foi ma sua despedida dar adeus, sentia que era o ponto final, queria uma despedida mais digna, era omque foi possível na época, quis o destino que ela formasse uma bela família e que tudo de fato chegasse ao fim, mas um belo dia celular de joel toca e quem seria?? Ela mesmo depois de anos voltam a conversar como antes, porque era isso que os unia essas conversas sobre tudo, sobre o ser de cada um que parecia ser entendido somente por eles, quis ela um dia sumir novamente, desaparecer.... ficando joel desolado sem com quem falar... e agora joel? Agora que ele nao quer nada, só quer falar, desabafar, saber como tudo esta. Para maiores informações whats para 48 999368066 ou email joelfuser@gmail.com E tudo fica assim, sem ele saber se ela existiu ou se ele vive uma fantasia onde criou a amiga perfeita em sua mente. Parece q ele nunca sabera.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Vida longa

Na época que o filme Edukators era sensação eu não podia acreditar que jovem idealista poderia se torna um rico empresário e virar as costas para todo mal que acometia a sociedade alemã, muito menos acreditar que essa mesma pessoa pudesse mudar novamente. Acabou que com tempo percebi que essa é a tendência da idade, pessoas entram tanto na noia do trabalho, sustento, casa própria, carro financiado, bebidas importadas e lazer ostentação que elas esquecem o essencial (e ele não é invisível ), esquecem tudo aquilo que as formou, o que as levou chegar ate aqui, era esse ponto que realmente voces queriam chegar? Sério que é isso? Não vivemos mais sonhos bons, vivemos o sonho coletivo, me sinto como as lembranças de Joel com Clementine do filme brilho eterno de uma mente sem lembranças, onde ele deseja apagar toda uma história, mas no meio de tudo ele percebe como aquela história com final ruim foi linda por boa parte, e tentar fugir desse apagão, se apegando as mais profundas lembranças, tentando manter tudo aquilo de bom. Sinto que estou apagando tudo, que aos poucos estamos perdendo a identidade, os ideais ficaram no passado, grandes paixões ficaram pra juventude, grandes porres nas amnésias alcoólicas, a vontade lutar nos livros junto com todas as teorias do mundo perfeito que queriamos montar para nossos filhos que viraram plantas, gatos ou cachorros. Como Joel tento fugir disso, mas como foi pra ele também agora é tarde, já fui apagado pelo sistema, pelas decepções, fracassos, decisões erradas e o medo. Já sumi, aquela pessoa deixou de existir, com raros lampejos ele volta, mas sempre sozinho logo a chama se apaga. Que tenhamos uma vida longa para satisfazer a todos e quem sabe no final sermos o que realmente somos e queremos.

sábado, 3 de outubro de 2015

Show da vida

Exato momento que voce percebe o quão é sozinho, que todos que você ama nao estão perto, que para estar proximos a eles é preciso vijar quilometros e quilometros.... Exato momento que a ficha cai e que ninguem te entende e te conhece, onde tudo parece um show de trumam, mas aqui o Trumam são eles e você é o grande ator desse grandioso espetáculo, repleto de pessoas estranhas...ou você seria o estranho? Será que vale pena por amor tudo isso? Ate Onde é normal seu melhor amigo e unica cia do dia dia ser um cachorro? Ate que ponto o meio que você vive é insuportável? Até onde voce consegue levar o show de trumam adiante? Um salve pra galera de boa. ..

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

entre nos.

Alguns anos são inesquecíveis, marco essa curta historia pelas mudanças, pelas idas e vindas. 2004, 2006 e 2011 foram anos de maiores mudanças, de novas eras, novas pessoas, principalmente novas cidades, anos de sonhos, sonhos, sonhos e de frustrações, frustrações frustrações e frustrações. 2006 o ano do retorno a terra querida, momento difícil, época onde se sentia forasteiro na própria terra, sem amigos, tentando retornar os contatos,as idas aos bares sozinho, os porre sozinho e a vontade de parar o mundo e descer, faz falta as voltinhas de carro com a amiga de olhos puxados, todos passeios com um objetivo, escutar e dar conselhos furados sobre uma relação que parecia eterna. Sábados a noite marcado por uma rotina incrivelmente infalível, o churrasco e o porre com amigos gremista, muitos somente a dois, que terminam na sala vendo qualquer filme na madruga. A faculdade outro momento interminável com um movimento estudantil mais alucinante ainda... as viradas de ano com aqueles caras... Os relacionamentos insuperáveis, inesquecíveis, q tiveram que ficar onde surgiram, que as vezes causa fagulhas na memória. Meus queridos e odiados alunos... Muita coisa boa, louca e ruim aconteceu entre 2006 ate 2010, o ano da partida, da despedida, viagem repleta de sonhos, planos e tudo mais.... No começo do blog, La por 2006, escrevi por aqui sobre um livro que o autor fazia a pergunta: Quando que me ferrei. Hoje depois de ver trecho de um filme brasileiro mudo a pergunta: quando deixei de ser o cara que ia mudar o mundo e virei o cara que o mundo mudou. Acho que esse cara mudou em 2010, exatamente aquilo que ele imagina da vida, a parte ruim que ele tinha medo que fosse acontecer... Aconteceu... Os amigos de outrora fora sumindo na memória, se afastando aos poucos como o trem partindo da estação. Coisas estranhas aconteceram, amiga de olhos puxados casou, um dos cara do ano novo casou e você nem ficou sabendo, o brother gremista vai casar, e você se antecipou e casou e separou antes de todos. Os alunos já são professores. Os amores do passado nem no face tem mais, muito menos na memória. A vontade de fazer revolução se transformou em historias engraçadas, acabou a vontade de defender um lado e brigar com outro, ainda passo por algumas manifestações na capital, igual aquelas que eu entrava sem saber a causa, Paro observo de longe e juro que me dói o peito, uma mistura de alegria e tristeza, feliz por saber que ainda tem gente assim e triste por pensar que eles podem virar o que virei. O que existe em comum 2006 e 2010, continuo no looping amoroso, continuo bebendo sozinho, e o churrasco agora é aos domingos com meu cão. Coisas boas pós 2010, muitas, aquisições, maturidade e visão diferente do mundo, a minha raiz e essência nunca abandonei e nunca vou abandonar, esse novo período me ensinou a maior lição de vida, tudo vai acontecer como tem que acontecer, aprendi a amadurecer para crescer e não crescer para amadurecer. E você meu caro, vai ser o cara que vai muda o mundo ou mundo vai mudar você.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Gracias Gabo

Dois anos e alguns dias depois eu volto aqui, infelizmente o motivo não é dos melhores, é sobre a morte de um grande. Gabriel Garcia Marquez, el Gabo, escritor colombiano, um Nobel, mas para mim esses prêmios nada importam... o que importa é o que ele fez na minha vida, é como ele foi capaz de influenciar uma mente jovem, um coração então revolucionário. Não lembro ao certo com que idade eu li Cem anos de solidão, que foi o primeiro livro dele que tive contato, algo entre os 16 e 21 anos, só sei que aquele fantasia misturada a realidade latina de colonização me fez ver a América latina com outros olhos, aquela América quente, apaixonada, criativa e extremamente rica culturalmente, tao diferente que parece uma só. Comprei livros dele em Assunção, Buenos Aires, fui ler Gabo em seu idioma, sem tradução ou notas de rodapé... Fui ler Cronicas de uma morte anunciada, um livro que começa contando o final da historia, um livro sobre um assassinado, que deveria ser um mistério mas que nas primeiras paginas revela quem matou porque matou...Mesmo assim a narrativa é surpreende e o final mais ainda... Fui atras de outros escritores da mesma linha, cheguei a Llosa, amigo depois desafeto de Gabo, percorri por Neruda, Allende, Galeano...todos gigantes...gênios da literatura latina...gênios da literatura... Que me fizeram acreditar na unidade latinamerica, que me fizeram ate tatua essa paixão... Soy latino, e sonho como eles sonham ou sonharam um dia em um continente mais unido, mais forte... Triste que para Garcia isso ficou tudo no sonho. Gracias Gabo

terça-feira, 3 de abril de 2012

Lembra mãe

Mãe
lembra quando eu era criança e você falava que eu seria presidente da república?
como você sabe nunca fui e é bem provável que nunca serei presidente da república federativa do Brasil, mas desde de criança passei como líder por onde estive, desde de representante de de sala do colégio até presidente de diretorios e centros acadêmico e no final até fui chamado de presidente na faculdade....
Lembra quando você pediu para eu ler Éramos seis, a estória de uma mãe de família com 4 filhos que no final da vida fica sozinha? pois bem mãe querida foi com esse livro que nasceu minha paixão por leitura, que dura até hoje e que me faz comprar livros e mais livros por onde passo...
Lembra mãe quando na minha infância não tão distante você limpava a casa, com a nossa ajuda é claro, e colocava no ultimo volume cd's de Chico Buarque, Milton Nascimento, Raimundo Fagner,Fabio Jr, Caetano Veloso, Glberto Gil, Elis Regina... Esta ultima cantora eu odiava tanto quando era criança, na minha cabeça gritava demais... com tempo percebi que não eram gritos e sim que ela cantava com uma emoção ímpar, e o Roberto Carlos, aquele cara que faz minha mãe chorar ate hoje e que me faz chorar em certas musicas, hoje escuto todos eles e os tenho todos como grandes ídolos... foi tu mãe que me fez ter um gosto musical tão enjoado e tão belo...
E se sou boemio, a culpa é sua sim, que mãe no mundo permitia comemorações de jovens em casa regado a churrasco e bons drinks moderados...
Lembra dos problemas que passamos, as dificuldades...quantas vezes tive que manter a calma quando tudo parecia que não ia dar certo e você parecia não acredita mais, mesmo desesperado tanto ou mais que tu, me segurei porque sabia que perder a cabeça também não nos levaria a nada, paciência e calma que tenho ate hoje e que me ajudou muito quando fui professor...
Mãe afinal você é paraguaia ou brasileira? eu nunca soube... o que me fez conhecer meu continente por inteiro, me fez desenvolver outra paixão... a América Latina... sou latino, porque fui criado por uma mulher latina americana... com orgulho...
Sou Corinthians, sou do povo, sou guerreiro, assim como você mãe...
Tu me ensinou a aproveitar a vida, a pensar hoje...a fazer o que queremos, desde que isso não afecte de forma negativa ninguém...
Um dia mãe você me chamou pra conversar e chorando me pediu pra não se importar com a diferença de poder aquisitivo entre eu e meus colegas de colégio particular, chorando você falou que não tinha condições de me dar tudo que eles tinham...nunca me importei com que eles tinham, não me fez falta...
porque você me deu o que mais tenho de importante, cultura, educação e um senso de igualdade incrível, me ensinou a não ter preconceitos de nada e de ninguém...
E você me deu tudo isso, sendo que você não fez faculdade pra me ensinar nada disso, me mostrou que quem nos ensina é a vida...
Você me criou assim independente, agora aqui estou, não vou te abandonar como em Éramos seis, posso estar longe mas sempre estarei com você ....
Talvez você não se lembre de nada disso ou quase nada, mas sua função não é lembrar
e sim de ter feito tudo isso fazer diferença na minha vida
Obrigado mamita del cielo